Recôncavo

    0
    63

     

    Perto da capital, Recôncavo oferece visita fascinante

    Cleidiana Ramos

    Foto: Aristides Alves

    Do ponto de vista geográfico, o Recôncavo inclui desde as cidades próximas a Salvador e sua região metropolitana até algumas que estão a mais de 300 quilômetros da capital. Mas, para efeitos de turismo, o destaque fica mesmo para as que estão situadas à beira da Baía de Todos-os-Santos e as ilhas.

    Com praias, manguezais e trechos da exuberante Mata Atlântica, o Recôncavo foi durante o período colonial a região mais rica da Bahia por reunir os engenhos de açúcar e produção de fumo. No século XX, passou a ter negócios ligados à Petrobras com a instalação da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em São Francisco do Conde.

    É também a área que mantém de forma muito forte a herança afro-brasileira. Em cidades como Santo Amaro e Cachoeira, persiste a disputa de qual território foi mesmo o berço do samba.

    As festas religiosas, que atraem milhares de turistas, têm fortes elementos afro-brasileiros, como a de Nossa Senhora da Boa Morte, além de rotas para o turismo em quilombos.

    Aqui você confere cinco bons motivos para fazer um passeio por essa atrativa região:

    #01 Cachoeira

    Localizada a 120 quilômetros de Salvador, a cidade possui os títulos de “Cidade Monumento Nacional” e “Heroica”. O primeiro vem do seu casario em estilo barroco, harmonizado com um belo trecho do Rio Paraguaçu. O segundo é por ter sido o berço dos primeiros passos para que acontecesse a Independência da Bahia de Portugal, em 2 de Julho de 1823, solidificando a separação proclamada por Dom Pedro I em setembro do ano anterior. A ponte Dom Pedro II é a única separação entre a vizinha cidade de São Félix, conhecida como “Presépio” por ter um belo visual com a iluminação noturna. Cachoeira tem museus e igrejas imponentes que contam a sua glória durante o auge da produção de fumo e açúcar em seu entorno.

    Foto: Aristides Alves

    #02 Santo Amaro

    Os casarões coloniais dão um charme à cidade, que também é conhecida por abrigar a Lavagem da Purificação, um misto de festa religiosa e profana, realizada durante os festejos para Nossa Senhora da Purificação, padroeira da cidade. Outra manifestação cultural muito conhecida da localidade é o Bembé do Mercado, uma festa organizada pelos praticantes de religiões como o Candomblé, que acontece em maio. A cidade é também a terra natal de duas grandes estrelas da MPB: Caetano Veloso e Maria Bethânia. Os dois astros frequentam regularmente a cidade e participam das manifestações culturais locais.

    #03 Rota da Liberdade

    Desenvolvido por comunidades quilombolas da região de Cachoeira, o projeto tem guias capacitados para levar os visitantes por roteiros nas localidades de Kaonge, São Francisco do Paraguaçu, Dendê, Engenho da Ponte, Engenho da Praia e Camboa. São três opções temáticas: Dia a Dia, Histórico e Trilha Griô –Caravanas dos Orixás. No roteiro Dia a Dia é possível conhecer aspectos históricos e culturais de uma das comunidades e acompanhar processos como a produção de farinha e azeite de dendê, além de assistir a apresentações culturais. No roteiro histórico tem passeio de barco, que permite a contemplação de imóveis como o Convento de São Francisco e a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, além de conhecer o cultivo de ostras e manguezais da região. O terceiro é no Engenho da Ponte e engloba palestras com griôs – especialistas em narrativas orais – e apresentações de esmola cantada, samba de roda e dança quilombola.

    #04 O artesanato de Maragojipe

    Maragojipe, localizado a 133 quilômetros de Salvador, é conhecido por suas riquezas naturais e simbólicas. O seu Carnaval, que tem forte presença de mascarados, foi reconhecido como um bem cultural baiano e imaterial pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Além disso, a localidade oferece mananciais ideais para a prática de navegação. Outra atração em Maragojipe é o artesanato feito a partir de argila. A produção se tornou tão importante que as peças fabricadas em um dos seus distritos, Nagê, é considerado grife. Em Coqueiros, localidade pertencente ao município, a arte em barro também é muito forte.

    Foto: Divulgação

    #05 São Francisco do Conde

    Um dos municípios integrantes da Região Metropolitana de Salvador (RMS), São Francisco do Conde é também a sede da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), pertencente à Petrobras, o que o faz ter um dos maiores PIBs da Bahia. Mas também é muito rico em patrimônios culturais como sobrados, igrejas e engenhos. Reúne ainda duas ilhas: Cajaíba, que tem um imponente solar e uma bela praia, além da Ilha das Fontes.